(REUTERS/foto de arquivo)

MANILA, Filipinas – Plataformas de mídia social (SMPs), provedores de serviços de Internet (ISPs) e empresas de serviços monetários (MSBs) devem assumir um papel ativo e juntar-se à luta do governo contra predadores online, disse o Departamento de Justiça (DOJ) na terça-feira.

O porta-voz do DOJ, Jose Dominic Clavano, disse que predadores online agora estão usando MSBs como carteiras online para abuso e exploração sexual online de crianças e para colocar as mãos em materiais de abuso ou exploração sexual infantil (CSAEM).

Clavano disse que esses materiais custam até P50.

“Existem também plataformas CSAEM onde você pode assinar vídeos por apenas P300. Quanto ao Telegram, pode chegar a P50″, disse Clavano em coletiva de imprensa por ocasião do Dia da Internet Mais Segura.

[There are platforms where you can get CSAEM videos by paying subscription cost of P300. In the online messaging application Telegram, you can go as low as P50.]

Ele disse que os predadores agora ignoram as instituições financeiras, pois já podem utilizar empresas de serviços, como carteiras online, para assinar.

“À primeira vista você não vai perceber que é para OSAEC ou CSAEM. À primeira vista parece que você está apenas transferindo o pagamento da passagem ou da comida, mas isso tem um crime subjacente”, disse Clavano.

[At first glance, the money transfers being made seem like for fare or for food, but there is already an underlying crime.]

Ele disse que o governo iniciou consultas com empresas de transferência de dinheiro.

Ele também lembrou às plataformas de mídia social e aos mediadores da Internet seus deveres sob a Lei da República 11.930, também conhecida como Lei Anti-OSAEC e Anti-CSAEM.

“Gostaríamos de reiterar este lembrete de que sim, existem obrigações. Se as obrigações não forem cumpridas, também existem algumas penalidades que teriam de ser cumpridas se os intermediários da Internet não estiverem à altura ou não cumprirem as obrigações propostas na lei ”, disse Clavano.

O NCC-OSAEC-CSAEM é uma subestrutura do Conselho Interinstitucional Contra o Tráfico (IACAT), que é presidido pelo Secretário de Justiça Jesus Crispin Remulla, com o Subsecretário do DOJ, Nicholas Felix Ty, atuando como Subsecretário Responsável.

No ano passado, Remulla alertou os ISPs que se se recusarem a cooperar na localização de criminosos sexuais, especialmente de menores, o governo poderá ir atrás deles e processá-los.

Remulla disse que os ISPs devem cumprir as suas obrigações ao abrigo da Lei da República 9775 ou da Lei Anti-Pornografia Infantil de 2009, exigindo-lhes que instalem software que bloqueie o acesso ou a transmissão de qualquer forma de pornografia infantil na Internet.


Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.


Sua assinatura foi bem-sucedida.

A referida lei também exige que os ISPs notifiquem as autoridades no prazo de sete dias a partir da descoberta de que qualquer forma de pornografia infantil está sendo cometida utilizando seus servidores ou instalações.



Fuente

Previous articleAumentos das taxas de juros do Federal Reserve não são páreo para as Rockettes
Next articleMelissa Gorga, da RHONJ, afirma que este sutiã esportivo de US $ 22 é uma virada de jogo